Entenda como a paixão pela criminologia levou duas jovens a criarem uma página, com mais de 400 mil seguidores:


Antes de se tornar uma página, o perfil que hoje é a Crimes Reais, era apenas uma conta pessoal da fundadora, Eduarda Radke. Nessa conta pessoal, Eduarda publicava diversos conteúdos de true crime – até que um deles, um post de uma ligação, onde uma menininha estava ligando para a polícia porque a mãe estava sendo assassinada por um homem, viralizou. [Se você for sensível, recomendamos que não veja, link: https://twitter.com/crimesreais/status/1224743953402159106?s=21 ]

Karolayne e Eduarda quando deram vida ao usuário @CrimesReais, no dia 2 de abril de 2020.

Após o tweet receber muitas curtidas e comentários, Eduarda chamou sua amiga, Karolayne Morais, para participar junto da página. Sendo assim, às duas começaram a postar Threads criminais

Crimes Reais com 10 mil seguidores, em março de 2020.

Mas quem seriam elas?

Eduarda Radke (18), mora na zona sul de São Paulo. Quando tinha apenas 13 anos, um caso criminal aconteceu a qual chocou-a e fez criar interesse pela área criminal. O caso era sobre Joaquim Pontes, um garotinho de apenas 3 anos que foi morto por seu padrasto e sua mãe, o crime ocorreu em 2013.

Eduarda Radke, fundadora da Crimes Reais.

A jovem lembra que ficou chocada com tamanha crueldade, e até mesmo chegou criar uma página no Facebook para homenagear Joaquim em busca de justiça.

Joaquim Pontes.

Desde então, começou a conhecer diversas histórias de vítimas, enquanto pesquisava na internet. Um dos primeiros conteúdos que chamou a atenção de Eduarda foi o canal do Youtube “FreakTv”, que se tornou inspiração para o seu trabalho na Crimes Reais. Além disso, a moça leva consigo uma paixão pela medicina legal, e espera um dia se tornar não apenas a fundadora da Crimes Reais, mas também uma médica legista.

Karolayne Morais mora em Minas Gerais e conheceu Eduarda Radke no ano de 2019, através de sua conta pessoal no Twitter, onde ela constantemente também expressava o seu interesse por criminologia. As duas logo se tornaram próximas, após a tragédia do Massacre em Suzano, que foi o caso criminal que despertou em Karolayne o costume de pesquisar e debater sobre criminologia.

Karolayne Morais, fundadora da Crimes Reais.

Após a página do Twitter ultrapassar 150K de seguidores, as duas decidiram expandir a Crimes Reais para um blog e também para um canal no Youtube. Foi aí que outra pessoa importante entrou para a história da formação: Lígia Scatambulo. Quem é ela?


Lígia Scatambulo (20), moradora da zona leste de São Paulo, hoteleira e estudante de Turismo. Lígia conheceu a Crimes Reais pelo twitter, e após se aproximar de Eduarda, foi convidada para atuar como escritora e revisora da página. Entretanto, a Crimes Reais não foi o primeiro contato com a criminologia. A jovem começou a se interessar pelo assunto aos 10 anos, quando ocorreu o Massacre de Realengo, no Rio de Janeiro. Ela se recorda de ficar horas em frente à TV, acompanhando entrevistas e matérias sobre o ocorrido, e a partir daí, começou a procurar mais sobre o tema.

A escrita sempre foi um de seus hobbies favoritos, mas a passagem dela pela Crimes Reais foi breve, algo entre 2 a 3 meses, tempo suficiente para que ela se tornasse uma das donas da Crimes Reais, ajudando Eduarda e Karolayne com os conteúdos e com a parte financeira da página.

Lígia Scatambulo

Atualmente, Lígia não faz mais parte da Crimes Reais, mas ainda torce pelo sucesso da página e de seus moderadores.

Eduarda conta que não é tão fácil para ela e para Karolayne, cuidar da administração da página. “Temos 39 pessoas na equipe, cada um fica em cada rede social que temos, como: Blog, Twitter, Instagram e Facebook, e YouTube, porém nenhum dos nossos trabalhos na rede social recebem monetização. O que é triste porque não tem como recompensar cada um da equipe com algo. Porque muitos passam horas e horas pesquisando, escrevendo e até mesmo investindo dinheiro para engajamento.”, conta.

“Independente da dificuldade financeira para sustentar a Crimes Reais, é um trabalho honrável para nós termos criado a maior página de criminologia do Twitter Brasil. A importância de um espaço que aborda somente crimes e tem uma ampla visibilidade, é que podemos utilizar disso para ajudar famílias que são silenciadas pela Justiça.”, acrescenta Karolayne.


4 comentários em “Entenda como a paixão pela criminologia levou duas jovens a criarem uma página, com mais de 400 mil seguidores:

Adicione o seu

  1. Fico feliz em saber que foram mulheres que iniciaram um projeto tão foda <3, espero que ele continue dando certo e que tenham mais pessoas fazendo parte da equipe, um grande passa tempo meu é ficar vendo as matérias de vcs, assim como as fundadoras tenho bastante interesse nesses casos criminais mas não achava muitas coisas interessantes, mas essa página realmente me cativou parabéns. S2

    Curtido por 1 pessoa

  2. Confesso que tenho uma atração muito forte por criminologia, gosto do Freak TV, sou fã do investigação Discovery.
    Por isso parabenizo o trabalho dessa equipe de crimes reais.👏🏼👏🏼👏🏼

    Curtido por 1 pessoa

  3. Excelente trabalho!!! Vocês são jovens e já trazem consigo uma responsabilidade e uma função de extrema importância. Sou muito grato pelo trabalho de vocês e se pudermos ajudar financeiramente vocês poderiam nos informar, vocês merecem!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: