Entenda a diferença entre psicopata e psicótico


Ao lermos sobre criminologia, muitas vezes acabamos nos confundindo sobre alguns termos usados na psicologia forense para designar pessoas com transtornos ou que chegam ao ponto de fazer algo que para nós é moralmente errado. Apesar do termo “psicopata” ser mais comumente usado, também é possível encontrar a expressão “psicótico” ao se referir à certas pessoas.

A maioria dos serial killers são psicopatas, mas há registros que apontam alguns como sendo psicóticos, ainda que em número bem menor. Na cultura pop esses dois termos são bastante usados, mesmo que remetam a algo ruim. Sejam filmes, séries, músicas, livros ou documentários, há de se concordar que existe toda uma indústria que se aproveita dos termos para vender um serviço ou produto. Já falamos anteriormente sobre a origem do termo “serial killer” agora venha entender a diferença entre psicopatas e psicóticos.

Psicopatas

De acordo com o artigo O Perfil do Criminoso Psicopata, a psicopatia é considerada “um transtorno de personalidade com traços notáveis de comportamento antissocial”. Tecnicamente, os psicopatas não são legalmente insanos, eles têm a noção de discernir entre o certo e o errado. Análises feitas por profissionais da área apontam que eles são pessoas racionais e, em muitos casos, possuem um QI maior que a média. O que mais intriga é que por conseguirem disfarçar qualquer traço imoral e sádico muito bem, eles aparentam ser pessoas extremamente normais e monótonas na sociedade, quase sempre chamando pouca ou nenhuma atenção das autoridades.

Porém, por trás de toda essa falsa normalidade que eles encenam, há indivíduos totalmente transtornados. Um dos pontos essenciais para se designar uma pessoa como psicopata é sua total falta de empatia. Eles não se importam com mais ninguém além de si mesmos, conseguem ser frios e calculistas mesmo em momentos que pessoas comuns estariam se tremendo e com o coração batendo forte. Eles veem a família, amigos e desconhecidos como meros objetos a serem manipulados. De acordo com o livro Serial Killers: Anatomia do Mal, da editora DarkSide Books, o termo “psicopata” só veio a ser criado em 1888 pelo psicólogo alemão Julius Ludwig Koch, mesmo que o tipo de personalidade descrita por ele existisse desde muito antes.

Segundo o psiquiatra alemão Kurt Schneider (1887-1967), os psicopatas “são aquelas personalidades anormais que sofrem por sua anormalidade ou causam sofrimento para a sociedade”. Embora em alguns contextos essas pessoas não tenham um distúrbio de ordem intelectual, a característica de insanidade moral está presente em muitos casos de psicopatia.

Um dos psicopatas mais famosos do mundo é Charlie Manson, fundador da seita de fanáticos intitulada “Família Manson”, que culminou no assassinato de sete pessoas em Los Angeles, incluindo a atriz de Hollywood Sharon Tate, grávida de oito meses na época.

Mugshot* de Charles Manson, tirada em 1968

Psicóticos

Ainda de acordo com o livro Serial Killers: Anatomia do Mal, a psicose é definida como “um transtorno mental grave, caracterizado por um certo grau de deterioração da personalidade”. Os psicóticos criam um universo para si e permanecem lá durante a maior parte do tempo, é como se eles se desligassem do mundo real. Dentre os principais sintomas estão: alucinações, delírios e ouvir vozes internas.

O portal Vittude cita alguns tipos de psicose e seus principais sintomas, que podem variar entre transtorno depressivo, transtorno bipolar, tumores cerebrais, depressão, entre outros.

01


Esquizofrenia

Um distúrbio sério de saúde mental que afeta a maneira como alguém se sente, pensa e age. Os indivíduos acham difícil distinguir entre o que é real e o que é imaginário.

02


Psicose Bipolar

Os indivíduos apresentam sintomas de transtorno bipolar (altos e baixos intensos de humor) e também experimentam episódios de psicose. A psicose ocorre com mais frequência durante as fases maníacas.

03


Psicose induzida por substâncias

incluindo álcool, certas drogas ilegais e alguns medicamentos prescritos, como esteroides e estimulantes.

04


Depressão Grave

algumas pessoas com depressão também apresentam sintomas de psicose quando estão muito deprimidas.

Cena do filme Psicose, de Alfred Hitchcock

Os tipos mais conhecidos de psicose são a esquizofrenia e a paranoia. Como dissemos anteriormente, na maioria dos casos os serial killers tendem a ser psicopatas, mas há alguns poucos registros em que eles são diagnosticados com psicose. Não há uma unanimidade acerca das causas da psicose, vários fatores podem contribuir para que ela ocorra, como: isolamento social, fatores sociais e/ou biológicos, abuso de drogas, etc. É importante ressaltar que ao contrário da psicopatia, a psicose tem tratamento. Essa é uma das principais diferenças entre os dois termos.

Um caso conhecido é o do paranoico esquizofrênico Herbert Mullin, serial killer que matou 13 pessoas entre outubro de 1972 e fevereiro de 1973, e acreditava ser a única pessoa capaz de impedir que houvesse tremores de novo na cidade em que vivia, por meio de sacrifícios humanos.

Mugshot* de Herbert Mullin

Mugshot: É o nome que se dá àquelas fotos tiradas na delegacia quando as pessoas vão presas. Normamente são tiradas com o preso segurando uma placa informadno o nome e a data da ocorrência.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: