O estranho desaparecimento de Brian Shaffer


Em uma sexta-feira normal do dia 31 de março de 2006, Brian Schiffer, um estudante de medicina da Universidade Estadual de Ohio, decidiu ir com seu amigo, William Clint Florence, a um bar chamado Ugly Tuna para comemorar o início das férias de primavera. Desde então, Brian nunca mais foi visto.

O ano de 2006 foi muito difícil para Shaffer. No início de março, a mãe de Brian, Renee, faleceu de mielodisplasia (um raro tipo de câncer nos ossos), tornando-se um dos maiores baques da sua vida. Apesar de aparentar estar bem, ele ainda sofria com a morte de sua mãe. 

No segundo ano de medicina, conheceu Alexis Wagoner, um pouco antes de sua mãe falecer. Acredita-se que Brian queria noivar com ela até o fim do ano, uma vez que ele já vinha demonstrando interesse nela. Essa possibilidade se tornou mais evidente quando o casal decidiu fazer uma viagem para Miami, que aconteceria durante as férias de primavera. 

No dia 31 de março de 2006, as aulas da universidade terminavam. A princípio, Brian tinha planejado sair para jantar com seu irmão mais novo, Derek Shaffer, e sua esposa. Porém, seu irmão acabou tendo um imprevisto e cancelou os planos, levando-o a combinar com seu amigo Clint Florence de saírem à noite.

Antes de encontrar Florence, Brian encontrou seu pai. Este diz que não viu nenhum comportamento atípico, muito menos em sua aparência. Para Randy, o filho aparentava estar cansado de suas provas na faculdade e, a seu ver, a responsabilidade e o tempo exigido pela faculdade impediam seu filho de viver o luto de forma saudável para que conseguisse se recuperar. 

Às 21h, Brian encontrou o amigo no Ugly Tuna – restaurante e bar de frutos do mar localizado no 2° andar do complexo South Campus Gateway, que se encontrava dentro do campus da universidade. Uma hora depois, ele decidiu ligar para Alexis, com o intuito de dizer o quanto a amava e gostaria de construir uma vida com ela. Durante o resto da noite, Brian e Florence visitaram diversos outros bares, sempre tomando um shot em cada um dos estabelecimentos.

Após a ida a vários bares, por volta de 00h, os garotos encontraram Meredith Reed, amiga de Clint, que acabou os levando de volta para o Ugly Tuna, onde uma banda estava se apresentando ao vivo. A entrada e saída dos clientes do estabelecimento era única, e se dava apenas por uma escada rolante, que tinha um sistema de vigilância bem em frente. As pessoas precisavam atravessar um pequeno salão para conseguir entrar no bar, logo não havia como fugir das lentes das câmeras. 

Os três foram capturados pelas câmeras de segurança subindo a escada rolante às 1h15. Em algum momento, já dentro do bar, Shaffer se separou dos amigos para conversar com os músicos. Depois, foi filmado por volta de 1h55 conversando com duas mulheres do lado de fora do Bar. Em seguida, ele voltou para dentro do estabelecimento enquanto elas foram embora. Quando o bar fechou, às 02h, Clint e Meredith se deram conta de que Brian não se encontrava em lugar nenhum. Após algumas buscas, chegaram à conclusão de que ele teria ido para casa sem os avisar.

Ao longo do final de semana, Alexis e Randy tentaram se comunicar com Brian, porém, sem sucesso. Ao voltar de uma visita aos seus pais, Alexis foi até o apartamento de seu namorado, mas não encontrou nenhum rastro. Sua casa estava da mesma forma que ele havia deixado, incluindo seu carro que seguia estacionado no mesmo lugar. 

Ainda convencida de que poderia ser um tipo de mal entendido, Alexis Wagoner esperou até segunda-feira (02 de abril de 2006), o dia em que eles iriam a tão esperada viagem, chegando a ir ao aeroporto com a esperança de encontrá-lo. Percebendo que ele não iria aparecer, Brian Shaffer foi declarado oficialmente desaparecido. 

A investigação por Brian começou pelo lugar em que ele foi visto pela última vez, o bar Ugly Tuna. Examinaram todas as câmeras dos lugares a qual Brian e Clint foram até encontrar Meredith e retornar para o bar na qual não saíram até o fechamento, às 02h. Shaffer foi capturado pelo sistema de segurança, cinco minutos antes de encerrar o expediente. Em seguida, voltou ao bar e não saiu mais. Porém, ele também não foi encontrado lá dentro. A saída de emergência estava em obras e nada foi encontrado, assim como a entrada de funcionários, que ficava fora do alcance de qualquer cliente.

Os investigadores encarregados do caso fizeram uma perícia no circuito de segurança, a fim de descobrir se alguma falha não havia acometido as câmeras naquele intervalo de tempo e, por algum motivo, não registrando o homem deixando o local. Porém, nenhum defeito foi encontrado. 

Cães farejadores foram levados para buscarem rastros de Brian tanto dentro quanto fora do estabelecimento e até mesmo em lugares muito improváveis dele ter passado, que acabou mais uma vez sem sucesso. Todos os interrogatórios feitos com vizinhos, estudantes, as jovens que conversaram com ele, os funcionários e os músicos que tocaram naquela noite também não levaram a nenhuma conclusão. Não existiam pistas e nem explicações que informassem o que havia acontecido. Seus cartões de crédito, linha de celular e conta bancária permanecem da mesma forma que foram utilizados na noite de seu sumiço.

Ainda se recuperando da perda de sua esposa e desesperado para encontrar seu filho, a qual ainda seguia sem nenhum paradeiro ou evidências, Randy consultou um médium que lhe revelou que o corpo de Brian estava descansando na água perto de uma ponte. Por muitas horas a fio, ele vasculhou com um grupo de busca por todo o rio Olentagy, em Columbs. Porém, não foi achado nenhum vestígio de Brian.

Todos os que tiveram com ele na noite do desaparecimento foram submetidos, de bom grado, a realizar um teste de polígrafo, exceto Clint Florence. Seu advogado alegou que seu cliente não havia nada a esconder, mas deu à polícia todas as informações que tinha. 

De acordo com Derek, Clint falou negativamente de Brian depois que ele desapareceu, o que levantou suspeitas de que, de alguma forma, ele estaria envolvido no desaparecimento de seu irmão. No entanto, nunca houve um resquício de evidência ligando-o ao desaparecimento. 

A busca por Brian durou anos e foi auxiliada por nomes como Eddie Vedder, vocalista da banda favorita de Brian, Pearl Jam, que fez intervalos entre as músicas durante um show, a fim de apelar ao público por informações sobre o seu desaparecimento. 

Todas as tentativas de encontrar Brian foram recebidas em um grande silêncio, mas em 2008, uma esperança de que o futuro médico ainda pudesse estar vivo surgiu. Entretanto, infelizmente, o pai de Brian veio a falecer naquele ano, sem nunca ter tido a oportunidade de encontrar seu filho. Porém, em um livro de condolências online, alguém escreveu: “Para o papai, com amor Brian (U.S Virgin Islands)”. No entanto, a polícia rapidamente descobriu que a mensagem era uma brincadeira cruel postada de um computador acessível ao público no condado de Franklin, Ohio. 

Após 14 anos do desaparecimento de Brian Shaffer, o caso segue sem nenhuma nova informação e evidência sobre o seu paradeiro ou do que pode ter acontecido.


2 comentários em “O estranho desaparecimento de Brian Shaffer

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: